Beira Meu Amor

A Beira foi o grande amor da minha vida. Recebeu-me com seis anos, em Novembro de 1950 e deixei-a, com a alma em desespero e o coração a sangrar, em 5 de Agosto de 1974. Pelo meio ficaram 24 anos de felicidade. Tive a sorte de estar no lugar certo, na época certa. Fui muito feliz em Moçambique e não me lembro de um dia menos bom. Aos meus pais, irmão, outros familiares, amigos e, principalmente, ao Povo moçambicano, aqui deixo o meu muito obrigado. Manuel Palhares

Archives
A minha fotografia
Nome:
Localização: Odivelas, Lisboa, Portugal

sábado, março 31, 2007

Almoço de ex-alunos do Liceu Pêro de Anaia

A chegada do Ubaldo!

Os manos Carreiras!

À esquerda o Ubaldo, no meio o Altino e o Alvito à direita!

Da esquerda para a direita: o Rui Madeira, o João Trancoso, o Manuel Frade e o Fernando Valério.

Da esquerda para a direita: o João Trancoso, o Fernando Valério e o Alvito Rodrigues.

Da esquerda para a direita: o João, o Fernando, o Alvito, o Agostinho e o Ubaldo.

Da esquerda para a direita: o Virgílio, o Altino, o Rui e o Manuel.

Da esquerda para a direita: o Manuel Palhares, o Altino, o Rui e o Manuel Frade.

O Ivo Barreto à chegada ao restaurante!

O Fernando Valério ouvia o que a Fátima Meireles dizia!

A Fátima, o Rui e o Manel Frade vêem fotografias dos tempos do Liceu.

Todos a verem fotografias de outros tempos!

Em primeiro plano, o Henrique Agostinho à esquerda e o Agostinho Carreira à direita. Ao fundo, a alegria das fotografias!

O João e o Valério, à direita, em destaque.

Em primeiro plano, o Altino recorda os seus tempos de finalista do Liceu.

A Fátima e o Rui a verem fotografias de quando eram muito jovens!

À saída do restaurante, já eram 7h. e 30m.! Da esquerda para a direita: o Alvito, o Agostinho, o Henrique, o Virgílio e o Palhares.

Meus caros amigos,

Realizou-se na passada quarta-feira, dia 28 de Março, conforme estava previsto, mais um almoço de ex-alunos do Liceu Pêro de Anaia, da cidade da Beira, em Moçambique.
Se no anterior almoço já se tinham vivido momentos de muita boa disposição e grande alegria, neste, as coisas correram ainda melhor.
Com o aparecimento de outros colegas e amigos, que fomos localizando no decorrer do mês, a algazarra foi mais que muita, em nada diferente da que fazíamos, no recreio do nosso Liceu, quando éramos meninos.
O grupo, é quase todo constituído por ex-alunos que inauguraram as primeiras instalações do Liceu na Ponta Gea e que, anos mais tarde, fizeram parte do conjunto de primeiros finalistas do Liceu Pêro de Anaia, no ano lectivo de 1962 /1963 - a primeira fornada!
Desta vez, para além dos que já tinham ido aos outros almoços, apareceram também o Fernando Valério, o Manuel Frade e o Rui Madeira.
Encontrámo-nos às 12h. e 30m. e quando os últimos se despediram, já passava das sete horas da tarde.
Para dar uma pequena ideia desta reunião, aqui ficam algumas fotografias.
Com amizade e um abraço fraternal,

Manuel Palhares

Odivelas, 31 de Março de 2007.

domingo, março 25, 2007

Letras das canções de abertura!

Non je n'ai rien oublié - Charles Aznavour


Je n'aurais jamais cru qu'on se rencontrerait
Le hasard est curieux, il provoque les choses
Et le destin pressé un instant prend la pause
Non je n'ai rien oublié

Je souris malgré moi, rien qu'à te regarder
Si les mois, les années marquent souvent les êtres
Toi, tu n'as pas changé, la coiffure peut-être
Non je n'ai rien oublié, rien oublié

Marié, moi ? allons donc, je n'en ai nulle envie
J'aime ma liberté, et puis, de toi à moi
Je n'ai pas rencontré la femme de ma vie
Mais allons prendre un verre, et parle-moi de toi

Que fait tu de tes jours ? es-tu riche et comblée ?
Tu vis seule à Paris? mais alors ce mariage ?
Entre nous, tes parents ont dû crever de rage
Non je n'ai rien oublié

Qui m'aurait dit qu'un jour sans l'avoir provoqué
Le destin tout à coup nous mettrait face à face
Je croyais que tout meurt avec le temps qui passe
Non je n'ai rien oublié

Je ne sais trop que dire, ni par où commencer
Les souvenirs foisonnent, envahissent ma tête
Et mon passé revient du fond de sa défaite
Non je n'ai rien oublié, rien oublié

A l'age où je portais que mon cœur pour toute arme
Ton père ayant pour toi bien d'autres ambitions
A brisé notre amour et fait jaillir nos larmes
Pour un mari choisi sur sa situation

J'ai voulu te revoir mais tu étais cloîtrée
Je t'ai écrit cent fois, mais toujours sans réponse
Cela m'a pris longtemps avant que je renonce
Non je n'ai rien oublié

L'heure court et déjà le café va fermer
Viens je te raccompagne à travers les rues mortes
Comme au temps des baisers qu'on volait sous ta porte
Non, non je n'ai rien oublié

Chaque saison était notre saison d'aimer
Et nous ne redoutions ni l'hiver ni l'automne
C'est toujours le printemps quand nos vingt ans résonnent
Non, non je n'ai rien oublié, rien oublié

Cela m'a fait du bien de sentir ta présence
Je me sens différent, comme un peu plus léger
On a souvent besoin d'un bain d'adolescence
C'est doux de revenir aux sources du passé

Je voudrais, si tu veux, sans vouloir te forcer
Te revoir à nouveau, enfin... si c'est possible
Si tu en as envie, si tu es disponible
Si tu n'as rien oublié
Comme moi qui n'ai rien oublié


*******************************************************

Hey Jude - The Beatles


Hey jude don’t make it bad
Take a sad song and make it better
Remember to let her into your heart
Then you can start to make it better

Hey jude don’t be afraid
You were made to go out and get her
The minute you let her under your skin
Then you’ll begin to make it better

And any time you feel the pain
Hey jude refrain, don’t carry the world upon your shoulders
For well you know that it’s a fool
Who plays it cool by making his world a little colder

Na na na na na na na na na

Hey jude don’t let me down
You have found her now go and get her (let it out an let it in)
Remember (hey jude) to let her into your heart
Then you can start to make it better

So let it out and let it in
Hey jude begin, you’re waiting for someone to perform with
And don’t know that it’s just you
Hey jude you’ll do, the movement you need is on your shoulders

Na na na na na na na na na yeah

Hey jude don’t make it bad
Take a sad song and make it better
Remember to let her under your skin
Then you begin to make it better
Better, better, better, better, better, aah...
Yeah, yeah, yeah, yeah, yeah, yeah...

Na na na na na na na
Na na na na
Hey jude

(jude, jude...
Yeah, yeah, yeah...
Yeah you know you can make it jude
Jude you’re not gonna break it!
Gonna make it better jude!
Take a sad song and make it better!
Jude, jude, hey jude...
Make it jude!
Yeah, yeah, yeah...)

Na na na na na na na
Na na na na
Hey jude


Odivelas, 25 de Março de 2007.

quinta-feira, março 01, 2007

Fotografias do almoço dos ex-alunos do Liceu, realizado em 28-02-07!

Esta foi a última fotografia, à porta do restaurante e com o Sol já a esconder-se, eram já 18h 30m!

Amigos à porta do restaurante, já à saída, quase seis horas depois de terem começado a almoçar!
O Restaurante Sabores de Goa, na Rua do Zaire, 17-B, em Lisboa!

Outra fotografia do restaurante!

Da esquerda para a direita: João Trancoso, Manuel Palhares, Alvito Rodrigues, Virgílio Carreira, Agostinho Carreira e Henrique Agostinho!

Da esquerda para a direita: João Trancoso, José Altino, Alvito Rodrigues, Virgílio Carreira, Agostinho Carreira e Henrique Agostinho!
Da esquerda para a direita: João Trancoso, José Altino, Alvito Rodrigues, Virgílio Carreira, Agostinho Carreira e Henrique Agostinho!
O Henrique Agostinho, à esquerda, a ouvir com muita atenção!

Os dois primeiros à direita: o Ubaldo Pereira e o Alvito Rodrigues!
À esquerda, o Alvito explica qualquer coisa ao Ubaldo e os dois acham graça!

À esquerda, o José Altino e o Henrique Agostinho, sorriem!
À esquerda, o Virgílio, ouve com muita atenção!
Os dois primeiros à direita: o Ubaldo Pereira e o Alvito Rodrigues!
Em destaque: o Altino explica ao Alvito qualquer coisa!
À esquerda, o Altino continua a falar com o Alvito, o Henrique lenvantou-se para aconchegar o que comeu e a Fátima ouve com muita atenção!

À esquerda, o Agostinho - que tem ao seu lado o Ivo - conta qualquer coisa, perante o olhar sorridente do João!

Agora quem fala é o Ivo!

À direita o João Trancoso sempre bem disposto!
A nossa menina, a Fátima Meireles, ouve com atenção!

À esquerda, o Virgílio ouve e o Altino fala!

O Ubaldo a olhar para o lado e o Manuel Palhares!

À esquerda : O Ivo, o Alvito e o Ubaldo. À direita, o Henrique!

O Agostinho olha para baixo e o Ivo presta atenção!

A Fátima a provar uma entrada e o João a falar com ela!
O Henrique e a Fátima!

O Virgílio e o Altino!
O Manuel Palhares, o Virgílio e o Altino!

Um aspecto geral da mesa, com o Manuel Palhares, em pé, ao fundo!
Outro aspecto geral da mesa!
Ainda outro aspecto geral da mesa!
A mesa onde nos preparávamos para começar a almoçar!

O Ivo Barreto à chegada, que foi muito aplaudida, pois trouxe consigo a Fátima Meireles!

A nossa menina, A Fátima Meireles, pois claro!

A chegada da Fátima Meireles!
A chegada à sala!
Da esquerda para a direita: o Agostinho Carreira, o Virgílio Carreira, o Alvito Rodrigues, o João Trancoso e o Altino Pinto!

Os mesmos amigos referidos em cima!

Ainda os mesmos!
À esquerda, o Ubaldo Pereira e à direita, o Henrique Agostinho!
O Altino Pinto à chegada à sala onde íamos almoçar!
À esquerda, o Alvito Rodrigues e à direita, o Virgílio Carreira!
O Ubaldo Pereira, à esquerda e o Agostinho Carreira, à direita!

O Alvito, à esquerda e o Virgílio, à direita!
O João Manuel Trancoso, ao centro e o Henrique Agostinho, à direita!
O João Trancoso, à esquerda e o Henrique Agostinho, à direita!
O Altino, à esquerda e o Alvito, à direita, à chegada ao restaurante!
Meus caros amigos,

Realizou-se ontem, dia 28 de Fevereiro de 2007, mais um almoço de ex-alunos do Liceu Pêro de Anaia, da cidade da Beira, em Moçambique.
O almoço teve lugar no Restaurante Sabores de Goa, que se situa na Rua do Zaire, 17-B, no Bairro das Colónias, junto à Avenida Almirante Reis e perto da estação dos Anjos, do metropolitano, em Lisboa.
Desta vez, o número dos presentes subiu para dez pessoas, e tivemos a alegria de ter entre nós a presença da primeira menina: a nossa querida colega e amiga Fátima Meireles.
Foi uma reunião de muito boa disposição, onde se verificou o reencontro de pessoas que não se viam há mais de quarenta anos.
O almoço correu muito bem, a comida estava óptima e o proprietário do restaurante teve que pedir para sairmos, pois já eram seis horas da tarde e ele tinha que arranjar as mesas para o jantar!
Aqui fica a reportagem fotográfica possível!
Com amizade e um fraternal abraço,

Manuel Palhares

Odivelas, 1 de Março de 2007.

/body>