Beira Meu Amor

A Beira foi o grande amor da minha vida. Recebeu-me com seis anos, em Novembro de 1950 e deixei-a, com a alma em desespero e o coração a sangrar, em 5 de Agosto de 1974. Pelo meio ficaram 24 anos de felicidade. Tive a sorte de estar no lugar certo, na época certa. Fui muito feliz em Moçambique e não me lembro de um dia menos bom. Aos meus pais, irmão, outros familiares, amigos e, principalmente, ao Povo moçambicano, aqui deixo o meu muito obrigado. Manuel Palhares

Archives
A minha fotografia
Nome:
Localização: Odivelas, Lisboa, Portugal

terça-feira, janeiro 23, 2007

Quando os amigos perguntam por nós!



Mena, Zé Paulo, Victor, meus queridos amigos,

Muita obrigado pela vossa amável atenção.
É certo que tenho participado menos nas Comunidades, pois vicei-me em jogar às damas
aqui.
Tem sido uma loucura. Em poucas semanas já fiz 1223 jogos! Vejam se conseguem advinhar com que nick eu jogo: ando entre o verde e o azul, ou seja, entre o jogador intermédio e o avançando - ó p'ra ele todo inchado! Falo sózinho, zango-me comigo próprio e chego a insultar-me pelas asneiras que faço - que eu estava louco já sabia, mas pensava que não era assim tão grave!
Depois houve as festas, durante as quais fiquei agoniado com o tanto que comi e bebi e, principalmente, com os milhares de boas festas que desejei e retribuí.
Agora tenho andado na recolha dos papéis para o IRS.
Com o começo do ano, resolvi também fazer exames médicos, para saber o que já sabia: estou velho e com as mazelas que começaram a aparecer a partir dos cinquenta, agravadas, pois não consigo comer para viver - tenho comido por prazer ou gula, já não sei!
Eis pois, amigos, o relato do que tem sido a minha vidinha pequeno-burguesa, que no fundo, bem lá no fundo, é do que todos nós gostamos.
Claro que nos incomodamos todos os dias com o horror pornográfico que nos chega, a toda a hora, de todas as partes da Terra, mas perante a impotência de não podermos fazer nada, vamo-nos habituando ao estertor em que o Planeta Azul agoniza.
Pronto, disse!
Vocês desculpem e não levem a mal todas estas baboseiras, pois quem vos "falou", não fui eu, português, escritor em comunidades e blogues da net, burguês acomodado e sexagenário; quem vos falou foi o meu pensamento, que é o do puto idealista que em tempos eu já fui e que se recusa a ter a idade do dono.
Beijinhos e abraços daquele que pensa sempre em vós como o melhor que tive na vida,

Manuel Palhares

quinta-feira, janeiro 11, 2007

O Dia de São Valentim...




Meus caros amigos,

Acabou 2006 e, 2007, por certo traz consigo esperanças sem fim para aqueles que acreditam que com a contagem dos anos, se renovam as possiblidades de começar de novo.
Oxalá se concretizem, pois, todas as vossas esperanças, com o novo recomeçar da contagem do tempo.
Para mim 2006 foi um bom ano, no que cocerne ver realizados desejos de ordem vária, sendo o principal a conclusão da licenciatura da minha filha: claro que o mérito é todo dela, mas a projecção no prazer que isso representa, também é minha e da mãe.
Em 2006 dei mais um passo neste mundo virtual, com a "criação" deste blog, onde, embora as ideias tenham sido minhas, a concretização técnica só foi possível graças ao saber informático do meu filho: foi ele que deu vida às minhas ideias, na sua realização.
20o6 foi, sobretudo, um ano de muitos reencontros com amigos de infãncia e adolescência, que me deram uma alegria enorme: alguns já não via há mais de trinta anos! Como foi bom reencontrá-los e conviver com eles de novo!
Estamos, de novo, na linha de partida para mais um ano, com a recontagem do tempo a recomeçar no próximo mês de Fevereiro, com a comemoração do dia de São Valentim, o Dia dos Namorados: não se esqueçam de renovar, com as vossas companheiras ou vossos companheiros, as juras que já fizeram "no outro lado do tempo", lá longe, em Moçambique, na cidade da Beira, porque são elas que mantêm quentinho o romance de uma relação, como muito bem sabemos.
E, meus caros amigos, por hoje vos deixo, com mais duas músicas do nosso tempo, que tanto alegraram como partiram corações...
Até sempre, com muita amizade,


Manuel Palhares

Odivelas, 11 de Janeiro de 2007.



P.S.: O local para a renovação das vossas juras de amor, pode ser o Compexo Oceana, junto ao Oceano Índico, na cidade da Beira, em Moçambique.
Ainda por cima, este ano, prevêem-se para ali, grandes manifestacões de saudade e alegria, nas muitas excurções que se vão fazer à Cidade da Beira, em Agosto deste ano, nas Festividades da Comemoração do seu 1º Centenário!
Viva a Beira!
Viva Moçambique!

/body>